Lançada pela IN 1.888, a determinação ainda gera muitas dúvidas na população. Especialista explica como adequar-se às exigências

Já estamos no terceiro ano desde que a Receita Federal lançou a obrigatoriedade da declaração anual de criptoativos no Imposto de Renda. Desde então, a indústria de criptomoedas floresceu e se expandiu de maneira impressionante, tornando-se uma verdadeira obsessão para brasileiros, do nível iniciante ao experiente em investimentos.

A determinação, lançada através da IN 1.888 em maio de 2019, divide opiniões no mercado cripto e ainda gera muitas dúvidas sobre suas regras e especificidades, principalmente agora, com a febre dos NFTs e a popularização dos empréstimos usando Bitcoin como garantia, que estão revolucionando as finanças. Mas, afinal, como declarar criptomoedas no Imposto de Renda 2022?

Para tornar a experiência mais tranquila, Rafael Lima, Head de Operações Estruturadas da Rispar, elenca abaixo as principais informações sobre prestação de contas sobre criptoativos à Receita.

Quem precisa declarar criptomoedas? A partir de quanto?

Caso o cliente possua mais de R$5.000 em bitcoin (BTC) ou qualquer outra moeda digital, torna-se obrigatório o preenchimento da declaração de posse na ficha “Bens e Direitos” do Imposto de Renda.

No entanto, apenas operações de venda ou permuta acima de R$35.000 ao mês estão sujeitas à tributação. Se alguma das operações no ano fiscal de 2021 se enquadra nessa descrição, o eventual lucro recorrente está sujeito a imposto sobre ganho de capital, sendo:

  • 15% sobre o ganho líquido mensal de até R$5 milhões;
  • 17,5% sobre o ganho acima de R$5 milhões e abaixo de R$10 milhões;
  • 20% sobre o ganho acima de R$10 milhões e abaixo de R$30 milhões;
  • 22,5% sobre o ganho mensal acima de R$30 milhões.

Empréstimo com garantia em Bitcoin no IR 2022

É necessário declarar à Receita empréstimos a partir de R$5 mil. Nessa regra, estão inclusas todas as categorias, incluindo o crédito com garantia. O débito deve ser informado na seção “Bens e Direitos” do Imposto de Renda, sob o código 51 — crédito decorrente de empréstimo.


No campo “Discriminação”, devem conter informações como nome e CNPJ da empresa, tipo de empréstimo, valor financiado, total de parcelas do contrato e o número de prestações quitadas. No caso do Bitcoin e outras criptomoedas como garantia, você pode incluir a quantidade usada para colateralizar o crédito na Rispar.

Códigos para declaração

Tenha muito cuidado para não se confundir na hora de preencher a ficha de declaração, pois, cada tipo de criptoativo conta com um código próprio. A partir deste ano, os NFTs também devem ser declarados, confira:

  • Bitcoin: código 81
  • Altcoins (como ETH, XRP, LTC, LINK, entre outros): código 82
  • Stablecoins (USDT, PAXG, etc): código 83
  • NFTs: código 88
  • Security e utility tokens: código 89

Onde preencher a declaração e prazo para entrega do IR 2022

Em 2022, o período para a entrega da declaração do Imposto de Renda é de 7 de março a 29 de abril — mas não deixe para a última hora, assim você tem tempo para corrigir eventuais erros e evita cair na malha fina. O programa para o envio da declaração está disponível no site da Receita Federal, e você pode acessá-lo clicando aqui.

Sobre a Rispar
A Rispar é a primeira fintech a oferecer crédito em reais tendo bitcoin como garantia e, graças a esse formato, consegue disponibilizar as taxas de juros mais baixas do mercado e trazer ainda mais pessoas para o universo de criptomoedas.

A fintech atua sob uma estrutura regulamentada pelo Banco Central do Brasil e já conta com mais de 8 mil clientes, além de parcerias de peso como a holding QR Capital, que levou à B3 o primeiro ETF 100% de bitcoin da América Latina, QBTC11 e a BitGo, maior empresa de custódia de ativos digitais do mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui