88% das corretoras de criptomoedas querem regulamentação do setor, diz estudo.

mm
Illustration / 3d rendering graphic composition on the subject of 'Financial Technology'.

A Mistertango, empresa estrangeira de pagamento por criptomoedas, sediada na Lituânia, divulgou um estudo que revela que 88% das corretoras do setor querem regulamentação das atividades.

O estudo foi baseado em respostas de 24 empresas de compra e venda de moedas digitais em todo o mundo, com um volume total diário de negociação de mais de US$ 100 milhões. As respostas mostram uma indústria que quer fazer parte do sistema formal, e não estar fora dele – ao contrário da percepção pública, segundo o site CCN.

O estudo revela que 88% das corretoras de criptomoedas querem regulamentação, pois acreditam que ela pode estabilizar os preços e criar um nível de certeza que o mercado não experimenta há algum tempo.

O gerente de negócios da Mistertango, Gabrielius Bilkštys, disse que o mercado precisa de regulamentação mais do que nunca, pois criaria o nível necessário de estabilidade que os investidores buscam:

“A indústria está clamando por regulamentação, e a resposta dos parceiros mostrou isso. A incerteza é o maior medo, e a regulamentação é fundamental para fornecer a estabilidade de que precisamos. Infelizmente, não há consenso regulatório. Para que as criptomoedas percorram a escala e a onipresença que as moedas fiduciárias já têm, precisam de regulamentação coerente, ponderada e abrangente. Assim, as regras serão um catalisador, não um inibidor do desenvolvimento do mercado de criptomoedas.”

A regulamentação poderia resolver algumas das ameaças que atormentaram o mercado no passado, mas alguns temem que uma mão muito pesada também possa destruir o mercado. Dezessete por cento dos entrevistados disseram acreditar que “uma regulamentação excessivamente rigorosa é a maior ameaça às criptomoedas”.

Segundo o levantamento, cerca de 40% das corretoras de moedas digitais acreditam que “reduzir as barreiras ao financiamento da atividade de criptomoedas pelos bancos melhorará a aceitação”. Esse é um dos fatores que impulsionam a adoção na Coréia do Sul, conhecido como um dos maiores mercados de comércio de criptomoedas.

O Shinhan Bank, o segundo maior banco coreano, disponibiliza corretoras locais com contas bancárias digitais, que os correntistas também podem usar para retirar e depositar sem ter que usar sua conta bancária tradicional. Os entrevistados acreditam que uma mudança na atitude dos bancos terá um impacto maciço na aceitação global das criptomoedas, mas que isso só pode ser alcançado se a indústria for regulamentada.

Fonte: CCN
https://www.ccn.com/88-of-cryptocurrency-exchanges-want-industry-regulation-new-study-reveals/

 

Siga nossas páginas nas redes sociais!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.