Apenas um terço dos mais ricos se dizem bem informados sobre Bitcoin.

Quem investiu em Moedas Digitais recentemente, viu um retorno satisfatório em 2017. Mesmo assim, as pessoas mais ricas do mundo dizem que não estão totalmente satisfeitas com seus gestores e querem aprender mais sobre criptomoedas.

A riqueza coletiva dos milionários do mundo subiu para US$ 70 trilhões pela primeira vez, e eles terão acumulado US$ 100 trilhões até 2025, revelou uma pesquisa divulgada no início desta semana. O Relatório sobre a Riqueza Mundial de Capgemini de 2018 descobriu que as pessoas ricas estão cada vez mais interessadas em criptomoedas, mas apenas metade delas está satisfeita com seus gerentes de investimentos, informou a Reuters. Apenas um terço desses milionários disse ter recebido informações suficientes sobre criptoativos.

Vinte e nove por cento desses “indivíduos com alto patrimônio líquido” (HNWIs), definidos pela pesquisa da Capgemini, expressaram um alto interesse em comprar ou manter moedas digitais, e vinte e sete por cento disseram que estavam apenas interessados no assunto. Embora o público em geral ainda esteja cético sobre o setor um número crescente de pessoas expressa o desejo de entendê-lo melhor.

O Bank for International Settlements (BIS), que é a agência coordenadora dos bancos centrais do mundo, é por definição conservador. Em seu relatório anual de 2018, divulgado em 17 de junho, a agência disse que “Bitcoin e outras moedas do mesmo tipo são um substituto ruim para dólares, euros e outros papéis, porque não acompanham a demanda crescente, exigem quantidades excessivas de energia e têm um valor muito flutuante.”

Apesar da incerteza regulatória e da firme cautela de impedir que criptomoedas entrem no setor de gestão de fortunas, a forte demanda por informações sobre a criptoeconomia em todo o mundo pode forçar as empresas de gestão de patrimônio a pelo menos desenvolver e oferecer um ponto de vista em breve sobre o assunto.

Quase 50% dos japoneses dizem que não investirão em criptomoedas
Quando as criptomoedas cresceram no Japão em 2017, os investidores japoneses eram principalmente pessoas na casa dos 20 aos 30 anos, segundo uma pesquisa divulgada pelo jornal Nikkei esta semana. No momento em que a pesquisa foi realizada em abril de 2018, 17,2% dos japoneses haviam investido em moedas digitais. Embora muitos tenham visto seus ativos aumentarem de 2 a 5 vezes em relação ao que investiram, foi relatado que 60% das pessoas realmente sofreram perdas. Quase cinquenta por cento delas disseram que não investirão em criptomoedas no futuro.

Siga nossas páginas nas redes sociais!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.