Apple proíbe a mineração de criptomoedas em dispositivos iOS

Novas diretrizes emitidas pela App Store da Apple proibiram a mineração de criptomoeda em dispositivos iOS, um movimento que aparentemente é motivado pela preocupação com a rápida queda nos níveis de baterias dos aparelhos.

“Os aplicativos, incluindo quaisquer anúncios de terceiros exibidos dentro deles, podem não executar processos em segundo plano, como a mineração de moedas digitais”, afirma a nova política.

A empresa prossegue explicando que os aplicativos não devem gerar calor excessivo, drenar energia da bateria ou sobrecarregar desnecessariamente os recursos do dispositivo.

Todas essas são características da mineração de criptoativos, que envolve a solução de quebra-cabeças matemáticos complexos. Devido à complexidade desses quebra-cabeças e à natureza competitiva da atividade, os mineradores precisam de computadores poderosos que consumam uma quantidade extraordinária de energia, emitindo muito calor no processo.

Para maximizar a eficiência, os mineradores, em muitos casos, criam redes de dispositivos, que podem incluir iPads e iPhones. Mas a nova diretriz se estende a todos os dispositivos da Apple, incluindo telefones, tablets e laptops.

 

Mineração baseada em nuvem ainda é uma possibilidade

A única maneira de continuar realizando a mineração de criptomoedas em dispositivos iOS seria se o processo fosse realizado fora do dispositivo, por exemplo, usando mineração baseada em nuvem.

Gerar calor excessivo e gerar uma quantidade extraordinária de energia são potencialmente prejudiciais para os dispositivos.

As restrições da Apple contra a mineração de moedas digitais em dispositivos iOS lembram uma ação semelhante do Google Chrome. Em fevereiro deste ano, o mecanismo de pesquisa anunciou que proibiria todas as extensões de mineração de criptomoedas da Chrome Store.

Em dispositivos da Apple, aplicativos que facilitam a transmissão ou transação de moedas digitais ainda podem operar.

No entanto, qualquer aplicativo que facilite as ofertas iniciais de moeda (Initial Coin Offerings – ICOs) deve ser originado estritamente de instituições financeiras estabelecidas e deve estar em conformidade com as regulamentações locais.

Os desenvolvedores de aplicativos que tentam ganhar dinheiro extra usando os dispositivos de outras pessoas em segundo plano estarão entre os usuários mais afetados por essas novas regulamentações.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.