Banco Central das Bahamas está preparado para introduzir moeda digital.

O vice-primeiro-ministro do país, que também tem a função de ministro das Finanças, K. Peter Turnquest anunciou durante a recém realizada “Conferência Bahamas Blockchain e criptomoedas” que uma moeda digital piloto será introduzida pelo Banco Central das Bahamas.

O arquipélago de Bahamas é formado por mais de 700 ilhas. Por isso, Turnquest disse que a moeda digital ajudaria as pessoas que não tem uma agência bancária por perto. A medida vem depois de muitos bancos comerciais começarem a reduzir sua presença nas ilhas, deixando as comunidades sem serviços bancários.

Com uma moeda digital do banco central, a necessidade de viajar longas distâncias para acessar esses serviços seria reduzida, tornando a vida melhor em um país onde o transporte é problemático e caro. O vice-primeiro-ministro das Bahamas também apontou que uma moeda digital melhoraria os negócios do país.

Na América do Norte, Bahamas e Canadá se juntaram para examinar um possível Banco Central para Moedas Digitais (CBDC, na sigla em inglês – central bank digital currencies). No final do ano passado, o Banco Central do Canadá lançou um documento que discutiu o assunto e tratou do impacto que uma moeda digital teria sobre a estabilidade financeira, o sistema bancário e a política monetária, entre outras questões.

Outros países cujos bancos centrais estão avaliando a ideia de um CBDC incluem a Noruega e a Suécia. No mês passado, o Banco Central da Noruega divulgou um documento que discutia a moeda digital do próprio banco. De acordo com o texto, o objetivo da criptomoeda seria servir como uma moeda legalizada e complementar ao dinheiro. Para o Diretor do Banco Central da Noruega, Per Oystein Olsen, parte da razão de considerar um CBDC foi porque o uso do dinheiro estava em declínio.

O mesmo motivo foi citado pelo Riksbank, Banco Central da Suécia, que analisa a criação de um CBDC. Para o Diretor da instituição, Stefan Ingves, o Banco Central para Moedas Digitais deve se tornar realidade em um prazo de até 48 meses.

A pesquisa também foi conduzida pelo Banco da Inglaterra com o objetivo de determinar os riscos e benefícios que viriam de um CBDC. Os estudos chegaram à conclusão de que essa moeda digital não teria um impacto adverso na liquidez da economia ou mesmo no crédito privado.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.