Brasil: Governo envia questionários para corretoras de criptomoedas.

mm
Brazil High Resolution Currency Concept

Segundo o site CCN, o governo brasileiro informou que as principais corretoras de moedas digitais do país responderam a questionários, que serviriam para saber mais sobre seus negócios e investigar sobre possível lavagem de dinheiro.

O site se baseia em informações passadas pelo Portal do Bitcoin, que noticiou que o questionário foi enviado às corretoras com 14 pontos abordados.

O documento alertaria as corretoras de criptomoedas sobre o prazo de cinco dias para responderem ao questionário e informaria que suas respostas fariam parte de um dossiê privado para “proteger o sistema financeiro”.

Segundo o CCN, as 14 questões giram em torno das operações das corretoras. Entre as perguntas estão como as empresas verificam os documentos dos clientes, os limites de negociação que oferecem aos clientes de acordo com seus ganhos, o controle das operações em suas plataformas e a identificação dos usuários.

Outros questionamentos pedem informações sobre “wallets”, sob o pretexto de subsidiar um “estudo para combater a corrupção e a lavagem de dinheiro”.

A agência de notícias local afirma ter entrado em contato com três corretoras de criptomoedas entre as 10 maiores em volume de transações do país. Uma alegou ter respondido a todas as perguntas do Ministério das Finanças. Outra revelou que não teria encontrado o questionário.

Uma terceira corretora de criptomoedas alegou que não responderia à consulta do governo brasileiro, pois foi enviada por meio de seu formulário de contato e não era um documento oficial.

Como o Portal do Bitcoin ressalta, no entanto, a maioria dos formulários on-line informa aos usuários que o governo recebeu uma resposta automática, o que significa que as corretoras não poderão negar que receberam a consulta.

O movimento do Ministério da Fazenda surge logo depois que uma plataforma de investimentos em criptomoedas no Brasil, a Atlas, foi hackeada. Embora a empresa alegue que o dinheiro dos clientes esteja seguro, os dados pessoais de mais de 264 mil usuários, incluindo seus endereços de e-mail e a quantidade de BTC que eles tinham, vazaram.

Fonte: CCN
https://www.ccn.com/brazils-government-sends-local-cryptocurrency-exchanges-a-questionnaire/

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.