E se você puder usar sua Skin do Counter Strike como criptomoeda?

Como seria se o Counter Strike transformasse a Skin em uma criptomoeda usando Blockchain.

Sou jogador de CS (Counter-Strike) desde a época do 1.5 e acompanhei a mudança do cenário desse game, desde o cenário amador até o cenário atual, que tem a previsão de movimentar em 2018 cerca de US$1 bi, de acordo com pesquisa apontada pela consultoria SuperData.

Counter-Strike é um jogo em primeira pessoa que lembra a famosa brincadeira de rua Polícia vs Ladrão, e o que diferencia é o objetivo que cada lado tem. Os Terroristas (Ladrões) devem fazer o “plante” da bomba C4 em um determinado local, já os Contra Terroristas (Policiais) devem impedir a implantação da bomba C4 ou desarmar a mesma caso tenha sido armada.

O jogo já passou de uma brincadeira e tem movimentado milhões de dólares tanto com seus campeonatos — que tem lotado estádios –, quanto com seu mercado dentro do jogo, que possibilita a compra de armas estilizadas usando um tipo de moeda que se chama “Skin”. Essas armas estilizadas não aumentam a sua chance de vencer, mas tem atraído cada vez mais admiradores, principalmente quando são modelos que tem poucas unidades no mercado.

O mercado de Skin é controlado pela Valve, que cria os novos modelos e cada vez lança mais. Essas Skins podem ser transacionadas (compradas, vendidas e doadas) tanto dentro do ambiente oficial quanto em sites de apostas onde são usadas como principal moeda. Cerca de US$ 5 bilhões em apostas foram feitas em skins em 2016, segundo uma pesquisa feita pelas firmas Eilers & Krejcik Gaming e Narus Advisors.

E se o Counter Strike usasse a tecnologia do Bitcoin?

Hoje o Bitcoin é a criptomoeda mais popular e está na mira de toda mídia, mas poucas pessoas conhecem a tecnologia que está por trás da mesma. A Blockchain é a tecnologia fundamental para permitir que a mesma seja tão valiosa, pois garante segurança e rastreabilidade para o Bitcoin.

Bom, agora que já temos uma breve introdução do jogo e um exemplo de criptomoeda, como saber se a minha Skin pode ter o valor de uma criptomoeda? Uma das principais funções da Blockchain é a transação de ativos. Podemos trazer coisas do mundo real para dentro da tecnologia ou do mundo virtual. A Valve pode se beneficiar dessa tecnologia e explorar o mercado de criptomoedas trazendo suas Skins (do mundo virtual) para dentro da Blockchain, tornando as Skins realmente únicas, pois cada uma teria uma identificação própria, conhecida como “hash”. Certo, mas qual a vantagem em fazer isso? A vantagem seria que sua Skin não só valeria dentro do mundo dos games ou em sites de apostas, mas também poderia fazer compras de produtos em e-commerces, pagar boletos, recarregar celulares, comprar livros online, filmes e outros. Desta forma, realmente tornaria sua Skin em uma “moeda” ou melhor, uma criptomoeda.

Como consequência as skins teriam mais segurança e rastreabilidade, pois haveria o controle de quantas seriam emitidas e permitiria controlar o mercado para que não fosse inflacionado pelo grande volume de emissões.

Siga nossas páginas nas redes sociais!