França adverte sobre várias plataformas de criptomoedas não autorizadas.

O regulador dos mercados financeiros da França emitiu uma nova advertência contra plataformas não autorizadas que oferecem investimentos em criptomoeda.
Quatro sites foram adicionados à lista negra de domínios que fazem negócios no setor de criptoeconomia sem autorização.

A autoridade reguladora dos mercados financeiros da França, a Autorité des Marchés Financiers (AMF), alertou na segunda-feira “o público contra várias empresas que propõem investimentos atípicos sem ter autorização para fazê-lo”.

A AMF é uma autoridade pública independente responsável por garantir que valores investidos em produtos financeiros sejam protegidos. De acordo com a Lei n. 2016-1691, nenhuma quantia de investimento pode ser diretamente aplicada na França sem um número de registro ou aprovação prévia pela AMF.

Juntamente com o alerta de segunda-feira, o regulador também publicou uma lista de quatro “novos sites não autorizados que oferecem investimentos atípicos”. Os quatro sites são bitoraxe.com, solutioncrypto.com, solution-crypto.com e connect-coin.fr.

A AMF havia publicado anteriormente uma lista de 15 sites oferecendo investimentos em criptomoedas sem autorização. O regulador mantém três listas de sites não autorizados – um para produtos estrangeiros, um para opções binárias e outro para outros bens, incluindo diamantes, vinhos e criptoativos. A agência começou a acompanhar os sites na lista negra em julho do ano passado e começou a incluir sites de moedas digitais em dezembro.

A AMF tem monitorado perdas no setor por meio do seu centro de serviços Epargne Info, que recebe reclamações. Durante a apresentação do relatório anual da AMF no mês passado, o presidente Robert Ophèle disse que durante os primeiros quatro meses do ano, das mais de 4.000 queixas processadas ​​pelo Epargne Info-services, 700 envolveram criptoativos com cerca de 250 reclamações ou relatórios informando mais de 9 milhões de Euros (10,43 milhões de Dólares) em perdas .

A França está atualmente criando uma estrutura legal para ofertas iniciais de moedas (ICO em inglês), que deve ser finalizada no próximo ano. A agência começou a restringir os derivativos de bitcoin em fevereiro. Em abril, o país reduziu a alíquota do imposto sobre os ganhos de capital de critomoedas de 45% para 19%.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.