Irã considera usar criptomoedas para escapar das sanções dos EUA

mm

O Irã pode empregar criptomoedas como parte de seus esforços para contornar as sanções dos EUA, de acordo com um parlamentar iraniano de alto escalão que disse que o assunto será discutido no parlamento em breve. Ele também acredita que o dinheiro digital pode ajudar a superar a hegemonia do dólar americano.

Segundo reportagem do site News.bitcoin.com, Mohammad Reza Pour-Ebrahimi, presidente da Comissão Parlamentar Econômica, observou que as moedas digitais poderiam ajudar a derrotar a hegemonia do dólar no comércio internacional. Falando à Agência de Notícias Mizan, ele disse que o assunto será revisto em breve no parlamento da República Islâmica.

Pour-Ebrahimi também observou que uma das principais prioridades do legislativo iraniano, na atual situação econômica volátil, seria explorar a questão dos tratados monetários como outro mecanismo para evitar as sanções. “Hoje, muitos países como Rússia, China e Brasil já se voltaram para tratados monetários mútuos ou multinacionais que facilitam as transações comerciais”, explicou.

Em meio a crescentes tensões com os EUA, desde que Washington abandonou o acordo nuclear recentemente e ameaçou Teerã com medidas mais duras, a moeda fiduciária nacional do Irã, o Rial, perdeu metade de seu valor nos últimos meses. Espera-se que o novo conjunto de sanções econômicas entre em vigor em novembro deste ano e as autoridades iranianas estão procurando maneiras de contorná-las, segundo reportagem do Iran Front Page.

Segundo o News.bitcoin.com, até agora a República Islâmica teve uma atitude ambígua em relação às criptomoedas. Os problemas econômicos do país persuadiram muitos iranianos a se voltarem para as moedas digitais como o bitcoin, a fim de protegerem a si mesmos e ao seu dinheiro da inflação alta e da incerteza econômica. No início deste ano, quando o país foi abalado por protestos populares sobre a situação socioeconômica, o Irã registrou um aumento recorde no comércio peer-to-peer (ou simplesmente ponto-a-ponto, com sigla P2P, que é uma arquitetura de redes de computadores onde cada um dos pontos ou nós da rede funciona tanto como cliente quanto como servidor, permitindo compartilhamentos de serviços e dados sem a necessidade de um servidor central) entre o Rial (IRR) e o Bitcoin (BTC).

Durante esse período, foram feitas chamadas para uma aceitação mais ampla das criptomoedas. Mais tarde, surgiram relatos de que o Irã estava considerando lançar sua própria criptomoeda e adotar regulamentos para elas. Porém, alguns relatórios sugerem que o Banco Central do Irã (CBI) está procurando uma maneira de impedir o uso de moedas digitais no país.

Mesmo assim, foi revelado em maio que os iranianos enviaram ao exterior mais de US$ 2,5 bilhões para adquirir criptomoedas.

Fonte: News.bitcoin.com
https://news.bitcoin.com/iran-considers-using-cryptocurrencies-to-evade-us-sanctions/

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.