Laticínios 4.0: como a mesma tecnologia das criptomoedas irá salvar a indústria do leite

laticínios 4.0

Cada vez mais ouvimos falar de uma tecnologia que é difícil de soletrear: o Blockchain. Esta tecnologia é a base sobre qual operam as criptomoedas como Bitcoin e é um dos pilares de Indústria 4.0, mas calma, isto não é um anuncio de criptomoedas, aliás se me perguntarem, evito recomendá-las. Mas o Blockchain é uma tecnologia surpreendente que irá resolver os principais problemas da indústria do leite graças as capacidades de integração e automação.

A tecnologia consegue dar rastreabilidade de toda a cadeia produtiva do leite: desde a produção, armazenagem, transporte, entrega, testes de qualidade, gestão de estoque, pagamentos e comercialização; até chegar na mesa do consumidor. Consegue também incluir, de maneira imediata e dinâmica, órgãos reguladores para certificarem este processo dentro da plataforma.

Pense no Blockchain como uma camada integradora que consegue conectar todos atores e os pontos da cadeia automatizando ações. Por exemplo, no transporte, Blockchain consegue conectar o teste laboratorial do leite realizado na saída da fazenda e compará-lo contra o teste realizado na recepção do laticínio já que ele conecta e dialoga com ambas as máquinas. Assim, a Secretaria de Agricultura é anunciada para que ela emita um certificado digital, único e irrevogável para esse lote, tudo de maneira imediata e automatizada.

Consegue também alertar as entidades se a máquina acusa divergência e ainda, aplicar automaticamente as penalidades para o fraudador. Todo este ciclo é extremamente confidencial. Os dados são protegidos pela criptografia entre os participantes envolvidos e ainda traz confiança na informação já que o sistema não pode ser hackeado.

Vamos listar os principais problemas de hoje na indústria do leite para entender como Blockchain irá resolve-los.

Um dos principais problemas hoje é a atenção a fiscalização sanitária que o laticínio precisa ter para evitar multas. Este registro pode ser realizado na plataforma, adicionando as evidências em relação à higiene e evitando perdas financeiras, burocracias ou erros.

Registros no conselho responsável de médico veterinário ou químico são armazenados dentro do Blockchain, evitando ser fraudados e podendo ser acessíveis em qualquer momento e lugar pelo laticínio. Isto diminui o risco que uma pessoa não profissional assuma um posto que não lhe compete.

Como vimos no exemplo anterior, o Blockchain também irá acabar com a fraude de adição de água ou outras substâncias no leite, registrando, acusando e expondo a toda a rede de laticínios e secretarias, as fazendas ou transportadoras que tentem fraudar o produto.

A plataforma também pode tomar conta automatizada de ações: realizar pedidos a fornecedores quando o estoque tiver alcançado um limite, atualizar tabela de fretes, autorizar pagamentos, etc. tudo de maneira integrada.

Hoje, as empresas demandam transparência, colaboração e eficiência operacional. Este é o terreno onde o Blockchain brilha e irá colocar nas nossas mesas produtos com certificados de origem, a um menor custo e de alta qualidade.

Por Bernardo de Souza Madeira – especialista em Blockchain e fundador da Interchains

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.