Malásia combate fraude em diplomas com verificação de Blockchain.

O Ministério da Educação da Malásia está se voltando para a tecnologia blockchain para combater as fraudes de graduação. O objetivo é manter a integridade e a reputação das universidades do país do sudeste asiático.

A iniciativa fez com que o ministério criasse um sistema de emissão e verificação de diplomas universitários baseados no blockchain da plataforma NEM. Conhecido como o sistema e-Scroll, a idéia do aplicativo blockchain foi discutida no início deste ano pelo Conselho das universidades da Malásia.

Espera-se que o sistema e-Scroll combata os casos crescentes de diplomas falsos do país, alguns dos quais agora estão sendo adquiridos on-line em “fábricas de diploma”. Os certificados educacionais falsos não apenas prejudicam os estudantes, mas também representam numerosos perigos para a sociedade em todos os setores, como os da área de saúde, que contam com pessoas com conhecimentos questionáveis.

“Percebendo a necessidade de salvaguardar a reputação e a integridade das universidades malaias, o Ministério da Educação tomou uma medida decisiva para evitar tal grau de fraude que também engana e injustamente desfavorece os estudantes genuínos”, disse o Ministério da Educação da Malásia em uma declaração no Twitter.

De acordo com o Ministério da Educação da Malásia, o blockchain NEM foi escolhido porque possui características únicas no que diz respeito à autenticação e ao gerenciamento da rastreabilidade. Um QR code é impresso no certificado e, sempre que for necessário verificar, o código é escaneado de qualquer parte do mundo, desde que haja uma conexão com a Internet.

Durante a primeira etapa da implementação do sistema e-Scroll, todas as certificações dos estudantes de doutorado que se formarão este mês pela Universidade Islâmica Internacional da Malásia serão incorporadas ao blockchain.

Ao mesmo tempo, o Ministério da Educação da Malásia também lançou um consórcio de tecnologia blockchain, cujos integrantes são, em grande parte, provenientes de universidades do país. O objetivo do consórcio é ajudar na formação de acadêmicos e estudantes sobre a tecnologia blockchain. O consórcio também espera desenvolver aplicações blockchain tornando isso um gerador de receita para as instituições membros.

Fonte: CCN

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.