Novo estudo afirma que 80% dos ICOs de 2017 foram golpes.

Um recente estudo conduzido pela empresa de consultoria em ICO, Statis Group, revelou que mais de 80% das ofertas iniciais de moedas (ICOs) conduzidas em 2017 foram identificadas como golpes.

Segundo os sites Cointelegraph.com e Webticoin.com.br, o estudo levou em consideração o ciclo de vida dos ICOs surgidos em 2017, desde a proposta inicial até a fase mais madura em uma exchange.

A pesquisa revelou que no ano passado, mais de 70% das quantias recebidas foram para projetos com uma qualidade melhor, embora mais de 80% dos ICOs tenham sido identificados como golpes. Os analistas descobriram que 4% deles faliram, e 3% ainda vão morrer.

O estudo reconheceu o fim desses ICOs como “empresas que não apareciam mais nas listas das criptomoedas negociadas nas corretoras, além da ausência de registros no Github em um período de três meses.” O GitHub é uma plataforma de hospedagem de código-fonte com controle de versão usando o Git.

De acordo com o estudo, o valor arrecadado, entre moedas e tokens em 2017, somou US$ 11,9 bilhões. Desse total, US$ 1,34 bilhão (11%) foi captado por ICOs que foram considerados golpes. Os três principais projetos fraudulentos foram: Pincoin (US$660 milhões), Arisebank (US$600 milhões) e Savedroid (US$50 milhões). Juntos, eles somaram US$ 1,31 bilhão. Isso sugere que, embora um amplo número de ICOs envolva golpes, eles recebem uma quantidade pequena de investimentos em comparação ao setor como um todo.

No início deste mês, o site TechCrunch publicou reportagem baseada em dados do Coinopsy e DeadCoins, revelando que mais de mil projetos com criptomoedas já estavam mortos em 30 de junho deste ano. Segundo a lista do Coinopsy, havia 247 moedas digitais mortas, enquanto o DeadCoins possuía em sua lista 830 itens classificados como criptomoedas mortas. Segundo a pesquisa conduzida em junho pela companhia de cibersegurança Carbon Black, quase US$ 1,1 bilhão em moedas digitais foi roubado no primeiro semestre de 2018. A companhia afirmou que os criminosos usam a Dark Web para facilitar o roubo em larga escala.

Um relatório conjunto entre a empresa de consultoria PwC e a Swiss Crypto Valley Association revelou que o volume arrecadado por ICOs entre janeiro e maio deste ano chegou a US$ 13,7 bilhões, uma quantia maior do que o montante total do ano passado.

 

Fonte: Cointelegraph.com
https://cointelegraph.com/news/new-study-says-80-percent-of-icos-conducted-in-2017-were-scams

Fonte: Webticoin.com.br
http://webitcoin.com.br/novo-estudo-afirma-que-80-das-icos-conduzidas-em-2017-foram-golpes-jul-13/

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.