Países do G20 prometem regulamentar criptomoedas.

mm

Os países do G20 assinaram uma declaração conjunta em Buenos Aires, onde prometem regulamentar as criptomoedas e combater seu uso para lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo, de acordo com os padrões do Grupo de Ação Financeira (FATF). A informação é da agência CCN, baseada em dados da Saudi Gazette.

 

A seção 25 da declaração assinada pelo fórum diz:

“Nós regularemos os ativos de criptomoedas para o combate à lavagem de dinheiro e o combate ao financiamento do terrorismo, de acordo com os padrões do FATF, e consideraremos outras respostas conforme necessário”.

O FAFT foi criado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), como uma organização de formulação de políticas para combater a lavagem de dinheiro e o financiamento de terroristas. O FATF começou a discutir maneiras de introduzir regras vinculativas PARA AS CORRETORAS De criptomoedas em todo o mundo, no início deste ano. A organização também procurou as regras atuais em uma tentativa de acomodar novas realidades de mercado.

Segundo a declaração do G20, “outras respostas” seriam consideradas necessárias, acrescentando que os países também continuariam a monitorar a economia global, que está sendo rapidamente digitalizada. E acrescenta que “buscaria uma solução baseada em consenso para abordar os impactos” da digitalização da economia no sistema tributário internacional, com uma atualização em 2019 e um relatório final em 2020”.

O fórum do G20 emitiu um comunicado pela primeira vez em julho, quando buscou aplicar os padrões contra a lavagem de dinheiro para o setor de criptomoeda até outubro. Na época, havia declarado que seus estados membros continuariam a monitorar o setor.

O fórum contratou seu regulador, o Financial Stability Board (FSB), chefiado por Mark Carney, diretor do Banco da Inglaterra, que é fã do monitoramento rigoroso dos mercados de criptomoedas para desenvolver uma estrutura que monitorasse o setor. A estrutura do FSB foi desenvolvida em parceria com o Comitê de Pagamentos e Infraestrutura de Mercado.

“O objetivo da estrutura é identificar quaisquer preocupações emergentes de estabilidade financeira em tempo hábil. Para isso, inclui métricas de risco, usando dados de fontes públicas quando disponíveis”, diz a estrutura do FSB.

Fonte: CCN

Siga nossas páginas nas redes sociais!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.