Primeira fintech contábil do Brasil se instala em SP

ROIT-FINTECH

Startup curitibana anuncia participação no Distrito Fintech, novo coworking em São Paulo exclusivo para fintechs

Depois de expandir sua atuação em Brasília e Estados Unidos, com uma unidade no Vale do Silício, Califórnia, a curitibana ROIT Consultoria e Contabilidade vai para São Paulo. A empresa iniciará a operação da sua recém criada Fintech ROIT BANK – o Banco que Contabiliza – no Distrito Fintech.  

Localizado em Pinheiros, bairro nobre de São Paulo, o Distrito Fintech foi inaugurado em fevereiro deste ano e consiste em um coworking só de fintechs. Seu intuito é abrigar apenas startups do setor financeiro, promovendo trocas e compartilhamento de ideias e projetos entre elas. O espaço conta com quatro andares de um edifício comercial e possui 17 salas exclusivas, mas disponibiliza também espaços abertos que podem ser compartilhados.

Para Lucas Ribeiro, sócio-fundador da curitibana ROIT, a ida para o Distrito Fintech será uma oportunidade para a ROIT BANK continuar a crescer e expandir sua atuação, devido à importância econômica da cidade de São Paulo. “Este é um espaço que estimula a troca de experiências e o setor de tecnologia como um todo. Estamos animados com o desafio e ainda mais por este empreendimento estar localizado em São Paulo, o que favorece nosso plano de atuação na região”. 

A ROIT BANK é a primeira fintech contábil do Brasil e está em fase de pré-lançamento pela ROIT Consultoria e Contabilidade, que começará agora em Maio a sua comercialização. Ela faz o financeiro e a contabilidade de modo automático, porque utiliza softwares com Inteligência Artificial (I.A.). A ROIT é a primeira no ramo a usar machine learning e deep learning e investiu mais de R$ 3 milhões em programação e desenvolvimento do novo sistema de I.A. Nos primeiros dias de funcionamento do robô contábil, por exemplo, foram realizadas 1.800 operações por hora e mais de 150 mil classificações contábeis já ocorreram com a tecnologia e sem interferência humana. Além disso, o robô já atingiu 92% de acuracidade em seus lançamentos.

A estimativa, segundo Ribeiro, é de que sejam economizadas mais de 100 mil horas de trabalho humano ao ano, o que possibilitará aos contadores, tanto da ROIT como das empresas clientes, focarem em estratégias e resultados: “Com a automatização qualificada, feita pela Inteligência Artificial, os colaboradores poderão agregar muito mais valor em análises, do que em trabalhos operacionais ou checagens e acompanhamento de normais fiscais”, afirma Lucas Ribeiro.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.