Fatalidade ou golpe ? CEO da maior exchange do Canadá morre e US $ 200 milhões podem estar perdidos.

quadriga cx

A maior exchange do Canadá, a Quadriga CX anunciou que pode ter perdido o acesso de US $ 200 milhões que estavam sobre gestão, após a morte do diretor executivo da empresa, Gerald Cotten.

No dia 9 de dezembro de 2018, o diretor executivo da maior exchange do Canadá, a Quadriga CX, morreu na Índia e com sua morte, uma dupla péssima notícia foi anunciada. Cotten era o único que sabia a chave privada necessária para resgatar os fundos armazenados offline pela empresa. O acesso às “carteiras” digitais da Quadriga CX  é realizado por um aplicativo offline que armazena as chaves para enviar e receber criptomoedas .

Cotten havia tomado as medidas de segurança padrão para um gestor de uma exchange: laptop, endereços de e-mail e o sistema de mensagens que ele usava estavam criptografados e a  maioria das moedas digitais estavam armazenadas offline. O problema disso tudo é que as chaves para discriptografar os sistemas e o acesso à chave privada estavam apenas sob custódia de Cotten. Todas as tentativas de acesso e de descriptografas as chaves de Cotten foram frustadas até agora.

Os diretores da Quadriga CX publicaram um aviso no site da empresa no dia 31 de janeiro, pedindo proteção ao credor ao tribunal da Nova Escócia, enquanto tratavam de “questões financeiras significativas” que afetam sua capacidade de servir os clientes.

O episódio em questão levantou inúmeras teorias conspiratórias sobre o ocorrido. No Reedit, alguns membros se perguntaram se a Quadriga CX é na verdade uma farsa e se toda a história não seria apenas um esquema dos sócios da empresa, que aproveitaram a morte do diretor para ficar com os fundos custodiados pela exchange. Existe também um movimento exigindo ações judiciais coletivas que investiguem supostas movimentações dos fundos que estariam perdidos e com acesso congelado.

Há inclusive algumas teorias circulando sobre a solvência da empresa e outras controvérsias criadas em torno do ocorrido. Para saber mais, assista o vídeo abaixo.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.