Salesforce consegue patente para usar Blockchain contra spam.

A empresa de software norte-americana Salesforce ganhou uma patente para detectar e-mails de spam usando a tecnologia blockchain. O registro de patentes foi publicado no site do Escritório de Marcas e patentes dos EUA (US Patent and Trademark Office – USPTO).

A Salesforce, que oferece aos seus clientes uma plataforma de correio eletrônico baseada em nuvem, patenteou a solução que permite detectar se um email inicial foi modificado durante o envio. Além disso, o programa controlado por blockchain pode ajudar a melhorar os filtros existentes, que muitas vezes não conseguem distinguir entre spam e e-mails comuns.

Segundo o Cointelegraph, conforme explicado na parte técnica do documento, para garantir a autenticidade da mensagem, o primeiro servidor de mensagens de e-mail registrará um componente selecionado da mensagem atual em um bloco, para obter a aprovação de outros nós do Blockchain. Quando o segundo servidor recebe a mensagem, ele verifica o registro Blockchain para descobrir se os dados foram substituídos ou são originais. Se as duas mensagens corresponderem, o email será marcado como “wanted”. Se o conteúdo foi alterado, o email vai para a pasta de spam.

A Salesforce observa que o blockchain também pode resolver problemas com a autenticidade de registros médicos, transcrições educacionais, escrituras, direitos de propriedade e documentos legais, segundo a agência Cointelegraph.

Como divulgado anteriormente, a plataforma Credo de gerenciamento de e-mail também está tentando combater o spam usando blockchain. Uma parcela de 10% do projeto que planeja usar tokens para verificar e-mails foi adquirida pelo investidor do Bitcoin, Tim Draper, em 2017.

Outras empresas dos EUA têm solicitado ativamente patentes para várias soluções de blockchain. A International Business Machines Corporation, ou IBM, é classificada como uma das maiores fornecedoras de tecnologias de patentes relacionadas a blockchain. A IBM apresentou um total de 89 patentes blockchain até 31 de agosto, vencidas apenas pelo gigante chinês Alibaba, com 90 pedidos de patentes.

A patente mais recente que a IBM registrou está programada para manter limites seguros entre objetos de realidade aumentada (AR) em videogames e locais físicos do mundo real. De acordo com o documento, um banco de dados de localização acionado por blockchain permitiria que dispositivos móveis obtivessem um sinal sobre se um determinado local em AR é indesejável.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.