Santander usa Ripple e lança primeiro App de pagamentos bancários usando Blockchain

A sign hangs from a branch of Banco Santander in London, U.K., on Wednesday, Feb. 3, 2010. Banco Santander announce FY earnings tomorrow. Photographer: Simon Dawson/Bloomberg via Getty Images

O banco espanhol Santander acaba de anunciar o lançamento de sua plataforma de pagamentos para consumidor final, usando tecnologia blockchain do Ripple. Brasil faz parte dos 4 primeiros países a receber suporte à tecnologia.

Santander anunciou ontem seu mais novo app de pagamentos, se tornando o “primeiro banco a utilizar tecnologia blockchain para pagamentos internacionais entre clientes finais de diversos países” com o lançamento do One Pay FX. O app, por enquanto,  só estará disponível em quatro países, Brasil, Espanha, Reino Unido e Polônia.

“A partir de hoje, usuários do Reino Unido podem usar o One Pay para transferir valores entre Europa e Estados Unidos. Na Espanha, consumidores podem transferir para Reino Unido e EUA, já no Brasil e na Polônia, clientes podem fazer transferências para o Reino Unido apenas,” disse Ana Botin, diretora executiva do Santander.

O app usa a mesma tecnologia do Ripple, xCurrent, uma blockchain voltada para empresas, desenvolvida pela FinTech para manter dados de pagamentos e transferências instantâneas ao redor do globo. A plataforma não usa a criptomoeda nativa do Ripple, XRP, para manter a blockchain.

De acordo com observações feitas pelo banco, o app vai permitir pagamentos internacionais com apenas “3 clicks e 40 segundos”, algo que ainda precisa ser testado por usuários finais no “mundo real” durante a próxima semana.

“Transferências para a Europa só podem ser feitas no mesmo dia e buscamos entregar transferências instantâneas entre diversos mercados até o verão europeu,” Botin adicionou.

A diretora executiva também fez questão de informar que o banco ainda adicionará outras moedas e países.

Enquanto o Santander proativamente se torna o primeiro banco europeu a usar blockchain para sustentar processos bancários básicos, um consórcio que inclui mais de 61 bancos japoneses – coletivamente responsáveis por 80% de todos os ativos bancários do país – também trabalha para lançar um aplicativo similar que também usará a tecnologia do Ripple.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.