Venezuela começa a monitorar contas bancárias para transações de criptomoedas

O governo da Venezuela começou a monitorar as contas bancárias de seus cidadãos para transações relacionadas a criptomoedas. Contas que contenham transações criptografadas a preços que o governo considera estar “minando a moeda nacional” serão “severamente punidas”, disse o vice-presidente Tareck El Aissami.

Esta nova fase foi lançada na semana passada com foco no que eles chamam de “contrabandistas de ouro”, ou venezuelanos que compraram ouro de pequenos garimpeiros e depois venderam para fora do país. A operação “detectou que essas máfias distorceram os preços do dólar”, declarou o vice-presidente do país, Tareck El Aissami, acrescentando que “eles migraram através do mercado de criptomoedas para atingir o sistema monetário venezuelano”.

A operação também visa a evasão de capitais por meio de criptomoedas. El Aissami explicou que o governo vai começar a monitorar contas bancárias para transações relacionadas a criptomoedas e vai processar aqueles que as negociam “a preços especulativos”. “Isso é parte de uma guerra para atingir o sistema financeiro do país, “e eles [o governo] irão exercer ações futuras para atingir aqueles que tentam conspirar através do universo cripto”.

“Todas as contas que identificamos que estão ligadas à manipulação serão severamente punidas e (os responsáveis ​​serão) colocados à ordem da justiça.” Desde o lançamento da Operação Paper Hands, três casas de remessas foram fechadas, incluindo duas corretoras. No entanto, o governo logo percebeu que as transações clandestinas de criptografia não cessaram.Isso levou o vice-presidente a anunciar na semana passada que corretoras em Caracas foram especificamente autorizadas a lidar com as transações de câmbio e as remessas do país.

As três corretoras são Zoom, Italcambio e Insular. No entanto, seus sites não indicam que eles lidam com criptomoedas. Com o objetivo de comprar e vender criptomoedas especificamente, o presidente venezuelano, Nicolas Maduro, anunciou em abril que havia certificado 16 bolsas com o objetivo de listar a moeda digital de seu país, o petro.

 

O que você acha da Venezuela monitorar contas bancárias em transações de criptomoedas? Deixe-nos saber na seção de comentários abaixo.

 

Por News.bitcoin

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.